Publicado por Farmarcas • 1 de abril de 2020

Papel do farmacêutico no enfrentamento da pandemia

A pandemia do Coronavírus (COVID-19) ainda segue por todo o mundo. E as farmácias, assim como os estabelecimentos essenciais, precisam tomar algumas medidas de cautela neste período.

Entenda o que a Federação Internacional de Farmacêuticos (FIP) e vários sistemas de saúde no mundo recomendam como atividades do farmacêutico no enfrentamento da pandemia (FIP, 2020; NHS, 2020):

Medicamentos

O farmacêutico deve adquirir, armazenar e distribuir medicamentos e outros produtos para a saúde (medicamentos, luvas, álcool, máscaras, entre outros) para suprir a demanda.

Fluxo de casos suspeitos

É preciso adequar o estabelecimento de forma a propiciar o fluxo de casos suspeitos, a fim de minimizar a disseminação e o surgimento de novos casos.

Área isolada

O farmacêutico no enfrentamento da pandemia deve definir uma área isolada para atendimento de casos confirmados, casos prováveis e de casos suspeitos de COVID-19, baseando-se em parâmetros técnicos.

Planos de emergência

Desenvolver e implantar planos de emergência e fluxo de trabalho local.

Triagem clínica

O colaborador pode realizar a triagem clínica e testes rápidos em casos suspeitos, contato próximo e contato domiciliar que acessarem a farmácia e notificar casos confirmados e casos suspeitos.

Após a triagem, o farmacêutico deve direcionar o caso confirmado ou caso suspeito, conforme gravidade e risco de complicações, para serviços de urgência/emergência, de atenção primária à saúde (APS), de consultórios médicos privados ou isolamento domiciliar.

Contenção de infecção

O farmacêutico no enfrentamento da pandemia deve promover a contenção da infecção e o alívio sintomático de casos confirmados leves e casos suspeitos com medidas terapêuticas e com educação do paciente, da família e do cuidador, no seu âmbito de atuação.

Receitas de medicamentos

Renovar receitas de medicamentos de uso contínuo a pacientes assintomáticos com doenças crônicas não transmissíveis controladas (pessoas com diabetes, hipertensão, entre outros).

Lembre-se que todo funcionário tem o papel de educar a equipe e estabelecer processos de trabalho que propiciem proteção ambiental e ocupacional visando a minimização do risco de contaminação de pacientes na farmácia.

Além de informar e educar a comunidade, a equipe de trabalho e o gestor do serviço com informações oficiais e baseadas em evidência científica. 

Fonte: Conselho Federal de Farmácia

 

Artigos que podem interessar

 

6 dicas para garantir a alta qualidade do serviço delivery na farmácia

Dicas para evitar aglomeração de pessoas na farmácia

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *