Publicado por Farmarcas • 10 de setembro de 2020

Setembro amarelo, por que uma empresa de gestão farmacêutica está falando sobre isso?

Setembro é o mês de valorização à vida e conscientização sobre o cuidado com a saúde do corpo e da mente.

Sem dúvidas, é melhor quando estamos em harmonia com outros e conosco, quando conseguimos entender nosso papel e exercê-lo sem grandes pressões que às vezes são pesadas de diferentes formas para cada um de nós.

Em uma época em que ficamos privados de conexões mais direta e há pouco tempo atrás também vimos as pessoas sempre com tanta pressa que mal conseguiam parar um instante, prestar atenção no outro e em si próprio.

Quem usa as redes sociais, pode ter lido algo sobre Setembro Amarelo, mas talvez, por distração, não sabe o que é ou não tenha entendido muito bem o que significa a campanha.

Ela foi criada com o intuito de informar as pessoas sobre o suicídio, suas causas, tratamento e a importância de cuidar da saúde emocional.

História por trás do Setembro Amarelo

A campanha teve início no Brasil, em 2015, pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). As primeiras atividades realizadas pelo Setembro Amarelo aconteceram na capital do país, Brasília; mas já no ano seguinte várias regiões de todo o país aderiram ao movimento e também participaram.

A Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (IASP) estimula a divulgação da causa em todo o mundo no dia 10 de setembro, que é a data do Dia Internacional de Prevenção ao Suicídio.

Qual objetivo do Setembro Amarelo?

O objetivo do mês é conscientizar as pessoas, promovendo diálogo sobre um assunto considerado tabu, em desconstrução. É um mês que busca incentivar conversas sobre o assunto, mas que não podemos deixar que fique apenas neste mês.

Sempre podemos deixar as pessoas que sofrem saberem que não estão sozinhas na luta por uma recuperação.

Além disso, campanhas como essa são importantes porque podem salvar vidas através da informação transparente e direta.

Enquanto humanos, devemos saber que quadros de depressão podem atingir qualquer pessoa: as que se alimentam bem ou mal, as esportistas ou sedentárias, as extrovertidas ou introspectivas. Não há regras. Mas há auxílio médico, psicológico e nutricional, para virar o jogo.

Por isso, se você for alguém que precisa de uma mãozinha amiga, acompanhamento médico e novas perspectivas, não tenha vergonha de pedir ajuda.

E, se quiser ser o braço de ajuda, saiba que o assunto deve ser tratado com seriedade e respeito.

O que fazer para ajudar?

Mas o que eu realmente posso fazer? Se você notar que algum amigo ou parente apresenta atitudes diferentes, observe e ofereça ajuda. Quando notar que o auxílio está além dos seus limites, busque acompanhamento médico para a pessoa em vulnerabilidade.

Nesse primeiro momento o acolhimento que pode oferecer a esse amigo é ouvir o que ele tem a dizer e incentivá-lo a procurar ajuda especializada. Não se esqueça de alertar parentes ou pessoas próximas da situação dessa pessoa.

Tão importante quanto,  é levar a sério o que pessoas em depressão dizem e fazem. Não subestime nada, nem ninguém. Sua atenção e reação podem salvar vidas.

E por que uma empresa de gestão farmacêutica está falando sobre isso?

A Farmarcas tem como propósito cuidar das pessoas e é uma marca que está no dia a dia de milhares de brasileiros através das mais de 1.100 farmácias que prezam a saúde, em todas as vias.

Sem estar de bem com seus sentimentos e pensamentos é difícil conseguir sucesso nos negócios e evoluir.

Neste mês vamos abraçar, aqui e em nossas redes sociais, a causa do Setembro Amarelo. Pode acreditar: a vida tem um valor imensurável, é linda e merece ser vivida.

A central de apoio emocional e prevenção do suicídio do CVV atende voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. O contato pode ser feito através do site do CVV ou pelo Disque 188.

Estamos juntos, hoje e sempre, nessa caminhada pelo bem mais precioso do mundo: a sua saúde.

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *