A violência doméstica contra as mulheres aumentou consideravelmente durante o período de isolamento social em meio à pandemia da COVID-19. Pensando nisso, foi criada a campanha “Sinal Vermelho contra a violência doméstica”.
A violência doméstica contra as mulheres aumentou consideravelmente durante o período de isolamento social em meio à pandemia da COVID-19. Pensando nisso, foi criada a campanha “Sinal Vermelho contra a violência doméstica”.

Publicado por Farmarcas • 17 de junho de 2020

Redes de farmácias aderem à Campanha “Sinal Vermelho”

A violência doméstica contra as mulheres aumentou consideravelmente durante o período de isolamento social em meio à pandemia da COVID-19. Pensando nisso, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) criou a campanha “Sinal Vermelho contra a violência doméstica”.

O objetivo da campanha é oferecer aos farmacêuticos e balconistas um treinamento para acolhimento das vítimas e tomada de providências. Como o isolamento exige um tempo maior de convivência, muitas mulheres acabam tendo uma dificuldade de denunciar o agressor ou de buscar ajuda. Vale ressaltar que os atendentes de farmácia não serão conduzidos a delegacia ou serem convocados para testemunhar, o papel deles será na comunicação à polícia.

O que é a Campanha

As vítimas que desejam fazer a denúncia, devem ir até uma farmácia, desenhar um “X” na palma da mão e mostrar a um atendente. A vítima receberá ajuda e poderá acionar as autoridades.

A ação conta com a participação de cerca de 10 mil farmácias em todo o Brasil, incluindo as redes associadas à Farmarcas. Essa decisão foi tomada com base no aumento do número de casos de violência doméstica durante a quarentena, uma consequência que expôs mulheres e crianças a uma maior vulnerabilidade dentro de suas casas.

A campanha é uma forma silenciosa de ajudar a vítima a denunciar na primeira oportunidade que conseguir sair de casa. O direito ao sigilo e à privacidade é garantida.

Aumento do número de casos

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), os registros de boletins de ocorrência apresentaram queda nos primeiros dias de isolamento social pela dificuldade que as mulheres têm de acionar os canais de denúncia.

A violência contra a mulher não diminuiu e, ainda de acordo com o FBSP, houve um crescimento dos números de feminicídio, assim como nos registros do 190 para atendimentos relativos à violência doméstica. Além de ter aumentado a violência contra a mulher no ambiente doméstico, as oportunidades de acionar os canais de ajuda diminuíram.

A campanha Sinal Vermelho é mais uma forma de proteção à mulher vítima de violência doméstica e as farmácias parceiras estão se mobilizando para ajudá-las. Um simples símbolo que pode mudar a vida de muitas pessoas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *